Com o intuito de ampliar a capacidade de escoamento do Rio Ipitanga (Lauro de Freitas) e da Bacia do Cobre (Salvador) para impedir alagamentos e enchentes, o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro, o chefe da Casa Civil, Rui Costa, e o perfeito Márcio Paiva, assinaram no Centro Administrativo da Bahia (CAB), dois contratos no valor de R$ 219 milhões para obras de manejo de águas pluviais.

Na Região Metropolitana da capital, as obras ganharam um investimento de R$ 188,3 milhões e são consideradas prioritárias pelo Plano Diretor de Manejo de Águas Pluviais e Plano de Ações Prioritárias de Macrodrenagem do município. A intervenção prevê a implantação de reservatórios de amortecimento no trecho do Rio Ipitanga, desde a Barragem Ipitanga I até a foz no Rio Joanes, além de obras que ampliam a capacidade de escoamento do rio, como o desassoreamento.

“Esse é um momento muito importante e de felicidade para Lauro de Freitas. Essa parceria da prefeitura com o Governo do Estado já vem dando frutos há algum tempo, uma vez que a administração estadual demonstra sensibilidade em relação à questão dos alagamentos no município”, disse Paiva.

Em Salvador, as obras acontecerão na região do Dique do Cabrito e Rio do Cobre. Os recursos investidos são da ordem de R$ 30,7 milhões e serão investidos na construção de dois canais – um no Dique do Cabrito, com 762m de extensão, e an Rua Maria Amaral, com 670m. Outras intervenções também estão previstas no Centro de Salvador.

As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e contam com recursos da Caixa Econômica Federal. A Companhia de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Conder) será responsável pelas obras.